Qualquer viagem, seja de lazer, seja de negócios, exige uma preparação. Principalmente se ela for internacional. Imagine chegar em um país que você não conhece e perceber que não levou os documentos necessários para passar na imigração? Uma situação terrível, certo? É justamente por isso que a checklist para viagem internacional é tão necessária.

Com ele, o viajante consegue programar uma viagem com muito mais segurança, já que a checklist destaca tudo o que é essencial. Com isso, o viajante não esquecerá os documentos e itens essenciais.

Se você chegou até este artigo, é bem provável que esteja programando uma viagem internacional, não é? Saiba que está no lugar certo. Abaixo listamos os itens indispensáveis e que você deve levar em consideração durante sua programação.

Leve o passaporte

“Impossível esquecer isso!” Se esta foi a frase que passou na sua mente, saiba que não é bem assim. Muitas pessoas ficam muito empolgadas com a possibilidade de conhecer outro país. A empolgação é tanta que elas acabam esquecendo o essencial: tirar um passaporte.

Para emitir o documento, você deve entrar no site da Polícia Federal, verificar os documentos necessários, preencher um formulário, pagar uma taxa, agendar o atendimento pessoal, comparecer ao posto de atendimento e retirar o documento no dia indicado pela PF.

Emita o visto

Países do Mercosul, como Argentina, Chile e Peru, não exigem a solicitação de visto prévio. Contudo, outros países sim. Por isso, é muito importante que você entre no site do consulado no país que você deseja visitar e veja quais são as instruções para solicitar o visto. É essencial fazer isso com alguns meses de antecedência da viagem, pois o processo pode demorar.

Tenha permissão internacional para dirigir

Em muitos países, o viajante terá diversos benefícios com a locação de veículo. Ele pode, por exemplo, economizar com serviços de Táxi, Uber etc., e terá ainda muito mais liberdade. Sendo assim, a recomendação é que ele tenha a permissão internacional para dirigir. O documento deve ser solicitado no Detran de cada estado.  

Tome todas as vacinas

Diversos países exigem o certificado internacional de vacina, e você precisará descobrir se o país que deseja viajar exige que o turista tenha tomado determinado tipo de vacina. Saiba que é muito simples descobrir a informação.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informa, em seu site, quais são as vacinas exigidas em cada país. Basta acessar, colocar o país que será visitado e pronto. Você terá a informação que deseja.

Leve um dicionário da língua

Não falar a língua local pode dificultar um pouco a viagem. Só que isso pode ser rapidamente solucionado com um dicionário da língua local ou até mesmo com um aplicativo, como o Google Tradutor. A recomendação é que você tenha os dois. Caso o celular, por exemplo, acabe a bateria, você pode recorrer ao bom e velho dicionário físico.

Faça um seguro viagem

Absolutamente ninguém quer pensar na possibilidade de ficar doente durante uma viagem. Ou que pode ter sua mala extraviada e ser furtado. Só que, infelizmente, essas situações podem sim acontecer, e você deve se prevenir.

A maneira mais simples é contratando um bom seguro viagem. Faça a cotação online, veja quais são os planos que mais atendem às suas demandas e contrate um. Entenda que o dinheiro gasto com seguro não será perdido. É um investimento que pode render bons frutos caso você enfrente uma situação complicada.

Troque o Real pela moeda local

Antes de viajar, ou até mesmo ao chegar no aeroporto do destino, a dica é que você troque uma determinada quantidade de Real pela moeda local. Sabemos que, atualmente, muitas pessoas usam cartão de crédito/débito e não querem andar com cédulas de dinheiro.

Só que, em muitos países, diferentemente do Brasil, vários lugares não aceitam cartão. Além disso, ter uma reserva de cédulas pode ser interessante para caso algum imprevisto ocorra. Por isso, não se esqueça de realizar o câmbio e guardar seu dinheiro em um lugar seguro dentro da mala ou da bolsa.

Tire um cartão de crédito internacional

Ter um pouco de dinheiro em cédulas é ótimo, mas você não deve se esquecer de levar um cartão de crédito internacional. Em alguns casos, não é necessário solicitar um, basta entrar em contato com o seu banco e solicitar que o seu cartão seja habilitado na função internacional.

Invista no aluguel de carro

Como mencionamos no item “permissão internacional para dirigir”, a locação de carro é uma ótima opção para quem viaja a negócios. Isso permite que o viajante se locomova com mais tranquilidade, pois não ficará refém de táxi e transporte público e ainda conhecerá melhor o destino.

Conte com uma agência de viagens online

Programar uma viagem corporativa e internacional não é uma tarefa simples. Isso porque, muitas vezes, o viajante não conhece o destino e precisa decidir qual o melhor hotel, a passagem com melhor custo-benefício, entre outras opções.

Diante disso, a opção mais recomendada é contar com a ajuda de uma agência de viagem online. Isso porque a agência permite que o viajante encontre todos os serviços, como passagem, hospedagem, seguro viagem e locação de veículos com preços muito mais competitivos.

A agência também permite que ele tenha acesso a um relatório online dos custos da viagem e isso é muito vantajoso, uma vez que o viajante deverá realizar a prestação de contas com a sua empresa. Ele ainda terá um controle maior dos gastos, com todas as notas que os comprovam.

Para finalizar, é importante mencionar que a checklist para viagem internacional é apenas uma parte de todo o planejamento da viagem. Há outras questões que devem ser levadas em consideração para, de fato, realizar uma viagem com segurança.

Uma das questões é a política de viagens internacionais, algo que toda empresa deveria ter para promover viagens com custo reduzido e também com qualidade. Não sabe do que se trata?

Sem problemas. Se você curtiu saber mais sobre checklist para viagem internacional, nosso artigo sobre como elaborar uma política para viagens internacionais também será interessante. Confira!

Qualquer viagem, seja de lazer, seja de negócios, exige uma preparação. Principalmente se ela for internacional. Imagine chegar em um país que você não conhece e perceber que não levou os documentos necessários para passar na imigração? Uma situação terrível, certo? É justamente por isso que a checklist para viagem internacional é tão necessária.

Com ele, o viajante consegue programar uma viagem com muito mais segurança, já que a checklist destaca tudo o que é essencial. Com isso, o viajante não esquecerá os documentos e itens essenciais.

Se você chegou até este artigo, é bem provável que esteja programando uma viagem internacional, não é? Saiba que está no lugar certo. Abaixo listamos os itens indispensáveis e que você deve levar em consideração durante sua programação.

Leve o passaporte

“Impossível esquecer isso!” Se esta foi a frase que passou na sua mente, saiba que não é bem assim. Muitas pessoas ficam muito empolgadas com a possibilidade de conhecer outro país. A empolgação é tanta que elas acabam esquecendo o essencial: tirar um passaporte.

Para emitir o documento, você deve entrar no site da Polícia Federal, verificar os documentos necessários, preencher um formulário, pagar uma taxa, agendar o atendimento pessoal, comparecer ao posto de atendimento e retirar o documento no dia indicado pela PF.

Emita o visto

Países do Mercosul, como Argentina, Chile e Peru, não exigem a solicitação de visto prévio. Contudo, outros países sim. Por isso, é muito importante que você entre no site do consulado no país que você deseja visitar e veja quais são as instruções para solicitar o visto. É essencial fazer isso com alguns meses de antecedência da viagem, pois o processo pode demorar.

Tenha permissão internacional para dirigir

Em muitos países, o viajante terá diversos benefícios com a locação de veículo. Ele pode, por exemplo, economizar com serviços de Táxi, Uber etc., e terá ainda muito mais liberdade. Sendo assim, a recomendação é que ele tenha a permissão internacional para dirigir. O documento deve ser solicitado no Detran de cada estado.  

Tome todas as vacinas

Diversos países exigem o certificado internacional de vacina, e você precisará descobrir se o país que deseja viajar exige que o turista tenha tomado determinado tipo de vacina. Saiba que é muito simples descobrir a informação.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informa, em seu site, quais são as vacinas exigidas em cada país. Basta acessar, colocar o país que será visitado e pronto. Você terá a informação que deseja.

Leve um dicionário da língua

Não falar a língua local pode dificultar um pouco a viagem. Só que isso pode ser rapidamente solucionado com um dicionário da língua local ou até mesmo com um aplicativo, como o Google Tradutor. A recomendação é que você tenha os dois. Caso o celular, por exemplo, acabe a bateria, você pode recorrer ao bom e velho dicionário físico.

Faça um seguro viagem

Absolutamente ninguém quer pensar na possibilidade de ficar doente durante uma viagem. Ou que pode ter sua mala extraviada e ser furtado. Só que, infelizmente, essas situações podem sim acontecer, e você deve se prevenir.

A maneira mais simples é contratando um bom seguro viagem. Faça a cotação online, veja quais são os planos que mais atendem às suas demandas e contrate um. Entenda que o dinheiro gasto com seguro não será perdido. É um investimento que pode render bons frutos caso você enfrente uma situação complicada.

Troque o Real pela moeda local

Antes de viajar, ou até mesmo ao chegar no aeroporto do destino, a dica é que você troque uma determinada quantidade de Real pela moeda local. Sabemos que, atualmente, muitas pessoas usam cartão de crédito/débito e não querem andar com cédulas de dinheiro.

Só que, em muitos países, diferentemente do Brasil, vários lugares não aceitam cartão. Além disso, ter uma reserva de cédulas pode ser interessante para caso algum imprevisto ocorra. Por isso, não se esqueça de realizar o câmbio e guardar seu dinheiro em um lugar seguro dentro da mala ou da bolsa.

Tire um cartão de crédito internacional

Ter um pouco de dinheiro em cédulas é ótimo, mas você não deve se esquecer de levar um cartão de crédito internacional. Em alguns casos, não é necessário solicitar um, basta entrar em contato com o seu banco e solicitar que o seu cartão seja habilitado na função internacional.

Invista no aluguel de carro

Como mencionamos no item “permissão internacional para dirigir”, a locação de carro é uma ótima opção para quem viaja a negócios. Isso permite que o viajante se locomova com mais tranquilidade, pois não ficará refém de táxi e transporte público e ainda conhecerá melhor o destino.

Conte com uma agência de viagens online

Programar uma viagem corporativa e internacional não é uma tarefa simples. Isso porque, muitas vezes, o viajante não conhece o destino e precisa decidir qual o melhor hotel, a passagem com melhor custo-benefício, entre outras opções.

Diante disso, a opção mais recomendada é contar com a ajuda de uma agência de viagem online. Isso porque a agência permite que o viajante encontre todos os serviços, como passagem, hospedagem, seguro viagem e locação de veículos com preços muito mais competitivos.

A agência também permite que ele tenha acesso a um relatório online dos custos da viagem e isso é muito vantajoso, uma vez que o viajante deverá realizar a prestação de contas com a sua empresa. Ele ainda terá um controle maior dos gastos, com todas as notas que os comprovam.

Para finalizar, é importante mencionar que a checklist para viagem internacional é apenas uma parte de todo o planejamento da viagem. Há outras questões que devem ser levadas em consideração para, de fato, realizar uma viagem com segurança.

Uma das questões é a política de viagens internacionais, algo que toda empresa deveria ter para promover viagens com custo reduzido e também com qualidade. Não sabe do que se trata?

Sem problemas. Se você curtiu saber mais sobre checklist para viagem internacional, nosso artigo sobre como elaborar uma política para viagens internacionais também será interessante. Confira!

O cashback é a forma de receber de volta parte do seu dinheiro gasto em uma compra ou na contratação de algum serviço. Esse programa tem como objetivo fidelizar os clientes, pois ao invés de oferecer pontos para a troca produtos ou milhas, o usuário recebe o dinheiro em sua conta ou como forma de desconto em compras futuras.

Esses sistemas de vantagens já existem no Brasil e podem ser benéficos para empresas, quando empregado na gestão das despesas corporativas. As companhias que oferecem viagens para os colaboradores podem usufruir desse serviço recebendo um crédito que pode ser usado nas aquisições posteriores.

Quem compra é beneficiado e quem vende se destaca entre a concorrência. Quer saber mais sobre o assunto e se existe alguma tributação no cashback? Continue lendo nosso texto e fique por dentro!

De onde vem o dinheiro do cashback?

Se você quer reaver parte do dinheiro das compras, é preciso se cadastrar em empresas que oferecem esse tipo de serviço e que realizam o trâmite. Nem todas os sites de compras online disponibilizam esse programa, por isso as empresas de cashback encaminham você aos sites parceiros.

Ao direcionar o possível cliente ao site de um parceiro, a empresa de cashback recebe uma comissão. As empresas de e-commerce pagam a ajuda que elas recebem e uma parte desse dinheiro é repassado ao cliente como forma de recompensa. Como apenas parte do dinheiro é recebido, o saldo fica acumulado até chegar a um valor mínimo para ser resgatado. Essas transações são feitas gratuitamente para o consumidor e o depósito é feito uma vez por mês.

Há incidência de tributação no cashback?

Como sabemos, os empreendedores devem fazer uma escolha do regime fiscal para sua empresa e, para isso, é preciso ficar atento ao modelo de tributação. Esse conhecimento é importante, pois é ele quem vai determinar a base dos impostos municipais, estaduais e federais.

Todas as empresas têm que pagar as taxas, por isso conhecer bem quais são elas e a situação do empreendimento é importante para saber qual escolher. No caso das empresas que usam cashback, como o valor é devolvido, esse tipo de benefício é visto como desconto. Dessa forma, ele não é considerado como uma receita e, por isso, não há tributação sobre o dinheiro que for recebido.

Quais as vantagens do cashback para as empresas?

Para as empresas que possuem parcerias com os sites de e-commerce, a principal vantagem é atrair novos clientes e, consequentemente, aumentar o número de vendas. Fazer compras online é uma questão de comodidade para os usuários. Agora, com o cashback, o processo também se tornou vantajoso para os compradores.

As parcerias são muito importantes, pois elas são uma forma de ter a sua marca promovida por um outro meio que vai além dos anúncios em sites ou o e-mail marketing. Quando os clientes realizam o cadastro nos sites de cashback, eles são direcionados para os sites de e-commerce e isso facilita o contato entre o cliente e o vendedor.

Além disso, ao realizar esse movimento, eles passam a confiar cada vez mais nas empresas e dar preferência a elas na hora de fazer as compras. Essa ação promove uma maior fidelização e satisfação dos clientes.

Para as empresas que oferecem viagens corporativas aos colaboradores, o cashback pode auxiliar na economia desses investimentos. Na etrip, que conta com o cashback como programa de recompensas, você pode adquirir passagens aéreas, reservas em hotéis, alugar carros e receber até 1,5% do valor gasto.

Quais as vantagens do cashback para os clientes?

O sistema de cashback oferece parte do dinheiro de volta aos clientes. Isso se torna um grande benefício, pois eles sabem exatamente o quanto receberão da compra feita. Os clientes sentem como se eles estivessem realmente levando vantagem sobre a compra, pois quando há a troca dos pontos por objetos é como se eles estivessem recebendo um brinde e, ainda, não precisam pagar taxas sobre o valor recebido.

Quando os clientes entram nos programas de fidelização, geralmente, eles recebem pontos para trocar em outros itens ou milhas. Já no cashback, eles recebem o dinheiro de volta diretamente em sua conta ou como forma de descontos para compras futuras. Para solicitar o dinheiro de volta é necessário que uma quantia determinada seja feita, assim, é preciso realizar um número de compras para receber o dinheiro. Isso não influencia no imposto de renda dos clientes.

Quais as diferenças entre o cashback e o sistema de pontos?

No sistema de pontos, ao realizar compras online, os clientes recebem uma pontuação que, ao ser acumulada, lhes permite trocar em produtos ou passagens aéreas — através de milhas. No entanto, eles oferecem desvantagens em relação ao cashback.

Os clientes, ao realizar as compras, não sabem qual o valor dos pontos que receberão. Dessa forma, é necessário acumular diversos pontos para realizar a troca por um produto ou serviço que realmente compense. Isso pode levar à desistência dos usuários, pois trata-se de um processo muito trabalhoso e demorado.

A troca dos pontos não pode ser feito para qualquer coisa que o cliente desejar, ficando, dessa forma, restrita apenas a determinados produtos e serviços específicos. Em muitos casos, o que o cliente deseja pode não estar mais disponível. A troca dos pontos é muito burocrática, o que gera muito transtorno para o comprador, fazendo com que ele desista de realizar a troca. O cliente também pode acabar fazendo a troca dos pontos por algo que ele não deseja, apenas com o intuito de não perder esse benefício.

O cashback veio como a forma de eliminar as desvantagens associadas aos pontos. Ao receber o dinheiro de volta, o cliente sente como se estivesse recebendo uma recompensa e que está ganhando em cima das compras feitas. Dessa forma, o cashback é muito mais útil e vantajoso para os clientes, pois ao receber o dinheiro de volta eles podem dar o destino que preferirem à devolução.

Este sistema se mostra uma opção melhor que a oferecida pelos programas de milhas aéreas. Pois ao realizar a parceria com empresas que promovem viagens corporativas, essa recompensa pode ser transformada em descontos em hotéis ou passagens. As milhas possuem problemas associados à necessidade de um grande acúmulo de pontos, burocracia na realização das trocas e pouca visibilidade do cliente de que ele está recebendo uma vantagem. Nessa perspectiva, esse programa se mostra menos vantajoso do que o cashback.

Para receber o dinheiro de volta, não é preciso acumular um valor muito alto e ele pode ser revertido na compra de produtos ou na contratação de um serviço. O resgate do dinheiro se mostra mais fácil do que a troca em produtos predeterminados.

Gostou do nosso texto? Ficou interessado em saber como ele pode se aplicar à sua empresa? Então, entre em contato conosco e saiba como você pode adotar este sistema de benefícios em seu negócio para ter clientes cada vez mais satisfeitos!

Sempre que vamos planejar uma viagem, ficamos nos perguntando se é possível cumprir com os compromissos com excelência e mesmo assim economizar. A resposta para essa dúvida é sim, que nós podemos reservar hotel barato e, assim, conseguir reduzir os gatos.

Para que isso aconteça, é necessário tomar alguns cuidados e fazer escolhas antecipadamente para evitar que o orçamento seja ultrapassado e sem que a qualidade do serviço seja diminuída. E isso pode ser solucionado com o auxílio de programas para fazer a pesquisa e encontrar as melhores opções.

Você quer saber como fazer as reservas baratas? Continue lendo nosso texto e confira as cinco dicas que vão ajudar você a encontrar a hospedagem ideal!

1. Faça a reserva antecipadamente

Quando vamos fazer a reserva do hotel para a viagem de negócios, fazer a reserva com antecedência pode garantir que os custos sejam menores. Já lemos essa informação, quando vamos falar sobre compra de passagens aéreas, e essa mesma lógica também serve para os hotéis.

Como no caso do avião, os hotéis funcionam de acordo com a demanda e a proximidade da data de reserva. A reserva pode ser feita com cerca de três a cinco meses de antecedência, para viagens nacionais e internacionais, considerando sempre os períodos de baixa e alta temporada.

Quando os hotéis estão com poucos quartos disponíveis para uma determinada data e a procura fica maior, a tendência é aumentar o valor do quarto. Quanto menos reservas forem feitas, é possível que promoções ocorram. Nesse caso, o ideal é garantir o menor preço com a reserva antecipada, do que arriscar deixando para a última hora.

2. Fique atento à localização do hotel

Um ponto muito relevante que deve ser pensado, quando formos fazer uma reserva, é considerar a localização do hotel. Dessa forma, não vale a pena fazer a reserva naquele lugar lindo, confortável e barato, e quando formos olhar a localização não compensar.

Para fazer essa escolha, é preciso considerar a distância entre o aeroporto, proximidade dos pontos de transporte público e do lugar das reuniões. Faça uma pesquisa no mapa da cidade e estude a logística local, considerando todos os itens que foram citados acima.

Estudar bem o lugar permite que você economize com a utilização de transporte, fique em lugares seguros e que garantam o conforto do colaborador. Outro ponto que deve ser observado é a existência de comércio perto, de forma que seja fácil encontrar mercados e farmácias, caso for necessário.

3. Escolha quais são os filtros

Para fazer as escolhas do hotel, iniciar a pesquisa de lugares, localização e qualidade é preciso saber o que é necessário para fazer a pesquisa. Nessa situação, é importante escolher os parâmetros de acordo com o tipo de viagem que você vai fazer.

No caso das viagens de negócios, é importante escolher um lugar que seja prático, de fácil acesso, confortável e ao mesmo tempo barato. Pois o colaborador vai passar mais tempo em reuniões e vai ao hotel para descansar, assim, é preciso pensar nas necessidades.

As empresas podem auxiliar nesse caso e informar alguns parâmetros para que o colaborador se atente, na hora de fazer a reserva. Essas medidas podem ser definidas, por meio das políticas de viagens corporativas.

Confira alguns itens que podem estar dentro dessas normas:

  • definição do preço das diárias e das passagens aéreas;

  • regras sobre a contratação de serviços de aluguel de carro ou táxis;

  • as despesas reembolsáveis e as que não são;

  • como pedir o reembolso do que foi gasto;

  • o que deve haver no relatório de viagem.

A partir de algumas dessas opções, os colaboradores podem estabelecer quais serão os filtros utilizados. Assim, fica mais fácil encontrar quais são os hotéis que estão dentro do parâmetro.

4. Faça as comparações de hotéis

Após ter conhecimento de quais são os filtros definidos pela empresa, o colaborador consegue focar mais nas opções que se encaixem dentro das políticas de viagens corporativas. No entanto, a existência dessas normas não tira a necessidade da pesquisa dos hotéis.

Essas medidas apenas regularizam e determinam o quanto a empresa pode gastar com esse tipo de serviço, de forma que o gasto com a viagem não seja superior ao que foi esperado. O colaborador usa essas informações e pesquisa quais são as opções que estejam dentro das normas e que se adéquam à melhor localização e valor.

Essas normas facilitam, pois elas determinam quais são os filtros necessários para escolher o hotel. Assim, elas permitem que o colaborador tenha a autonomia de identificar qual delas é melhor para a sua viagem.

5. Contrate uma agência de viagem corporativa online

As empresas sabem que as viagens corporativas são importantes para a sua projeção no mercado e a contratação de agências de viagem corporativas online permite que elas tenham acesso às ferramentas que auxiliem nessa situação. Essas companhias oferecem o serviço especializado e evitam as dores de cabeça dos contratantes.

Elas promovem a rapidez e praticidade necessárias para a organização de viagens, suporte para os viajantes, descontos e contato com empresas parceiras. O que parece ser um gasto se torna um investimento.

Os benefícios podem ser inúmeros para quem optar por esse serviço, afinal, a etrip dispõe do cashback e do self booking. O cashback é quando o usuário recebe de volta o dinheiro gasto em compras e os reverte em descontos nas próximas aquisições. O self booking é uma ferramenta que permite que o próprio colaborador faça as escolhas de viagem, de acordo com as normas internas.

A busca pela melhor forma de economizar em uma viagem deve ser pensada em todos os detalhes e nas suas etapas. Para fazer com que essas jornadas tenham um bom resultado para a empresa, é preciso começar desde o seu planejamento.

Contratar uma agência de viagens corporativas online permite mais estabilidade e garantia de que as viagens darão certo. Agora, fazer a busca e reservar hotel barato ficou ainda mais fácil. Gostou do nosso texto sobre como planejar viagens corporativas? Então, não deixe de compartilhar esse post nas suas redes sociais! 

Você já sabe como a próxima viagem corporativa da sua empresa será feita? Elas fazem parte do dia a dia das companhias e precisam de planejamento. Para que nada saia do plano, contar com uma agência de turismo pode ser uma ótima saída.

Essas empresas especializadas são responsáveis por fazer alguns trabalhos, como as reservas de hotéis, passagens aéreas, transfers e até a locação de carros. Além disso, as agências conseguem fazer com que o viajante entenda todo o cenário da jornada, antes de embarcar, e ajudam a solucionar qualquer tipo de problema.

O seu papel principal é oferecer uma consultoria sobre todos esses processos. Você quer saber como organizar a viagem corporativa com uma agência de turismo? Então continue lendo nosso texto e confira as vantagens de contratar esses serviços!

Auxílio na compra de passagens aéreas e reservas

Você sabe que é preciso efetuar uma pesquisa minuciosa para escolher esses dois itens. Afinal de contas, eles são as questões que custam mais caro na hora de realizar uma viagem.

Para fazer as reservas, são necessários tempo e paciência, afinal, os valores variam de acordo com a época do ano, dia e horário da semana. Dessa forma, por estarem mais acostumadas com esse tipo de trabalho, as agências de turismo já têm um conhecimento sobre essas questões e ajudam a economizar.

Na hora de comprar as passagens, algumas dicas devem ser levadas em consideração, como:

  • comprar as passagens com antecedência para voos internacionais e nacionais;
  • estender a viagem até o sábado para economizar na passagem de volta;
  • reservar as passagens para as partidas entre quinta e sexta-feira;
  • escolher voos com escalas pode sair mais barato.

Seguir essas sugestões e se dedicar à pesquisa pode dar trabalho para os usuários. Para isso, as agências têm a função de reunir as opções que mais estão de acordo com a intenção do cliente.

Economia para a empresa

As agências de turismo podem auxiliar e evitar que você gaste dinheiro desnecessário na hora de realizar todo o planejamento. Isso acontece, pois, tais empresas conseguem efetuar acordos com companhias aéreas e hotéis.

Essas parcerias funcionam de forma que as agências dão preferência para fazer as reservas com determinadas empresas. Em troca, elas recebem um desconto para assegurar que os viajantes optem pelos serviços das companhias parceiras em vez de outras.

Assim, uma empresa permite que você tenha acesso a essa redução de custo, que pode ser feita tanto para viagens em grupo ou individual. Além disso, tais agências têm parcerias com serviços de transferes, aluguéis de carro e seguro de viagem, que podem ser mais vantajosos do que contratar tudo à parte.

Otimização do tempo da viagem

Como elas já são experientes nesse ramo, um dos benefícios de realizar a sua contratação é a otimização do tempo da viagem. Quando falamos nesse quesito, não estamos nos referindo apenas à viagem em si, mas de todos os processos mencionados, desde o planejamento, à compra de passagens, às reservas de hotéis e à logística na cidade de destino. Isso acontece, porque, essas agências já têm prática nesse tipo de serviço e oferecem o contato com as demais empresas parceiras.

Apoio aos viajantes

É claro que não queremos que nada na viagem dê errado. No entanto, é importante se prevenir para qualquer tipo de imprevisto.

Quando os viajantes estão sozinhos, em qualquer situação adversa, eles não têm para quem ligar e tirar dúvidas. Por isso, ao fazer a contratação de uma agência, ela oferece um suporte aos viajantes.

Ela dispõe de um canal de contato que atua durante 24h por dia e nos sete dias da semana. Por isso, antes do colaborador viajar, apresente o que ele deve fazer em caso de eventuais emergências, como os telefones de contato disponíveis.

Suporte tecnológico

Além de realizar a consultoria necessária para essa questão, as agências de viagens corporativas disponibilizam suporte tecnológico. Com a contratação de seus serviços, você pode ter acesso aos selfbooking.

Esse tipo de ferramenta é muito útil para registrar tudo que foi feito durante a viagem. É por meio desse software que os próprios colaboradores podem escolher as reservas de hotéis e quais passagens e trechos mais se encaixam nessa viagem, promovendo a autonomia do usuário, por isso o termo selfbooking.

Além disso, tal aplicativo pode ser configurado de acordo com as políticas de viagens corporativas, assim, as escolhas feitas ficarão dentro dos gastos esperados pela empresa. Ele, também, pode ser usado para fazer o registro do passo a passo da viagem, que permite relatórios de viagem feitos de forma mais eficiente.

Contrate uma agência de viagens corporativas online

As agências de viagens corporativas online oferecem os mesmos serviços que as de turismo e, ainda assim, com muito mais benefícios e possibilidades devido ao contato online. A procura por realizar compras no meio digital vem crescendo e se tornado cada vez mais comum no mundo corporativo.

Velocidade e dinamismo

Graças ao apoio online, o acesso e a velocidade na hora de fazer o atendimento permitem que o suporte aos viajantes seja feito durante 24 horas. Esse tipo de contato possibilita que os usuários otimizem seu tempo durante o dia e evitem se deslocar para ter contato com a agência.

Melhores preços

Com a tradição nessa área de atuação, as agências online possuem parcerias para fornecer o melhor suporte de serviços aos viajantes. O cashback é disponibilizado e retorna até 1,5% do valor gasto nas compras online, de forma que esse benefício pode ser revertido na hora de adquirir outras passagens, na reserva de hotéis e no aluguel de carros.

Registro de dados

O levantamento e registro dos dados das viagens corporativas são muito importantes para conseguir fazer o monitoramento de todas as informações. A etrip oferece o mesmo serviço de selfbooking, assim é possível realizar a compra de passagens, reservas e o registro de todas as opções.

Organizar uma viagem requer muito trabalho e atenção, por isso, as empresas não podem deixar de efetuar a contratação de uma agência de turismo que lhe ofereça suporte em todas as situações e ajude a reduzir os custos. Esse é o tipo de investimento que não pode deixar de ser feito.

Você gostou dos serviços que uma agência de turismo pode oferecer para a sua empresa? Então, imagine que isso tudo possa ser duas vezes mais rápido! Você consegue mensurar esse tipo de trabalho?

Depois de ler todas as indicações para contratar um suporte para viagens corporativas, que vai além das agências de turismo, você não pode deixar de conhecer os nossos serviços. Entre em contato conosco e saiba mais!

Imagina fazer compras online e ainda receber uma parte do dinheiro gasto de volta? Você pode conseguir isso por meio do cashback, uma maneira muito interessante de fidelizar clientes e oferecer recompensas por ele ter adquirido seu produto ou serviço.

O processo é feito em plataformas onlines e pode ser utilizado a qualquer horário e lugar. Ficou interessado em conhecer mais sobre esse programa? Para entender como isso funciona e quais as melhores maneiras de aproveitar o cashback, leia nosso texto! 

Como funciona o cashback?

Este programa pode ser usado em compras feitas pela internet e o benefício é disponibilizado diretamente no site de quem está fornecendo o serviço ou produto. Para começar a usar, você deve fazer um cadastro nos sites que oferecem o cashback, pois eles já possuem parcerias com empresas nas quais este benefício será empregado.

Outra forma de utilizar esta vantagem é por meio de compras feitas com alguns cartões de crédito. Neste caso, as compras devem ser feitas normalmente e o dinheiro é recebido na hora de pagar a fatura.

Quais são as vantagens?

Os clientes estão cada vez mais exigentes, fazendo mais pesquisas e buscando formas de gastar menos. O cashback surgiu como uma forma de promover vantagens para quem está comprando e para quem está oferecendo os produtos. 

Ao fazer o seu uso, as empresas experimentam uma nova forma de angariar mais vendas, porque os usuários ficam atraídos devido a possibilidade de utilizar o valor adquirido em outras compras. Dessa forma, é possível fideliza-los e atrair novos usuários.

Para quem estiver fazendo a compra, o programa permite gerar uma economia. É possível utilizar o crédito disponível para conseguir descontos em compras futuras ou na contratação de serviços.

É possível usar para viajar?

O uso do cashback vai além de compras online! Ele também pode ser utilizado na hora de organizar viagens corporativas.

É preciso encontrar agências especializadas neste tipo de serviço e que disponibilizem este programa. Estas empresas já possuem parcerias com hotéis e companhias de transporte aéreas e terrestres, que podem oferecer mais benefícios para os seus clientes.

No caso da etrip, ao fazer a compra de qualquer produto de viagem até 1,5% do valor gasto pode ser devolvido para o consumidor. Assim, é possível conseguir o dinheiro de volta em todas as compras feitas em seu site.

Como fazer o seu uso?

Para fazer o uso deste benefício é preciso fazer o cadastro no site da agência de viagem. Desta forma, é possível ter acesso a todos os serviços oferecidos por esta empresa.

É super simples: por meio do selfbooking, ao fazer uma reserva de hotel, compra de passagens aéreas ou solicitação de outros serviços, parte do dinheiro volta para o cliente como forma de cashback, que pode ser usado como desconto nas próximas viagens.

Usar o cashback é benéfico para as empresas e para os clientes. Oferecer as melhores condições para os usuários é a melhor forma de fideliza-los.

As empresas que investem em viagens corporativas podem ganhar com o cashback, pois elas conseguem realizar as viagens e ainda obter benefícios. Como elas não podem deixar de ser feitas, é importante conseguir sempre as melhores condições. Quer saber como? Leia nosso texto sobre como economizar em viagens de negócios

Tendências de mercado podem ser muito mais do que novidades. Podem ser aliadas para conquistar diversos benefícios. Quando se trata de hospedagem corporativa, por exemplo, elas são fundamentais para conquistar inovação e também para obter vantagem diante da concorrência.

Por isso, empresas que atuam com viagens corporativas devem se manter atualizadas. Para ajudar nessa missão, selecionamos algumas das novidades disponíveis que podem ser usadas para aperfeiçoar uma viagem. Confira!

Autonomia para as empresas

Antigamente, para realizar a reserva de uma hospedagem corporativa, a empresa precisava solicitar uma cotação, assinar contratos etc. Atualmente, isso já não é mais necessário. Isso porque uma das tendências do mercado é oferecer mais autonomia para as empresas.

Dessa forma, hoje, um gestor já consegue ver o orçamento de forma simples e realizar a reserva com agilidade. Tudo por meio de uma plataforma online que oferece segurança, economia financeira e otimização do tempo.

Evolução dos relatórios de gastos

Os relatórios já não precisam mais ser realizados em planilhas e não demandam atualização humana constante. Felizmente, houve uma evolução muito benéfica para as empresas. Com isso, atualmente, o registro das compras é feito em tempo em real e de forma automática. Sendo assim, há muito mais precisão e controle dos gastos.  

Além disso, os relatórios atuais também permitem que as empresas possam analisar quais são as principais viagens, os serviços mais comprados, companhias aéreas utilizadas e quais são os destinos mais procurados.

As informações permitem que o profissional responsável pela gestão das viagens corporativas possa entender de forma precisa o seu trabalho e com isso até criar estratégias mais eficientes para redução de custos.

Programas de cashback

Imagine pagar por diárias em um hotel e receber de volta uma porcentagem, de até 1,5%, do total do valor gasto e usá-la para conquistar descontos em outras compras. Parece algo muito vantajoso, certo? Pois saiba que isso é uma outra tendência de mercado.

A prática é mais conhecida como cashback e vem sendo empregada por agências de viagens corporativas. Essas, além de oferecer hospedagens com muito mais economia, permitem que os clientes possam reduzir ainda mais o orçamento da viagem. Ou seja, comprando mais, ele consegue ainda mais descontos.

Plataformas com amplas ofertas

Quem faz uma reserva de hospedagem não quer ir até outra plataforma para ter que comprar a passagem aérea. Sabendo isso, o mercado entendeu que era necessário oferecer uma plataforma com variedade de ofertas.

Isso significa que em apenas uma plataforma o cliente pode fazer sua reserva de hotel, comprar a passagem aérea e ainda realizar a locação de um veículo. Na mesma plataforma, ele ainda conta com atendimento 24 horas em casos de imprevistos como cancelamento ou remissão da passagem.

Para finalizar, é importante destacar que as tendências estão sempre se atualizando. Por isso, a recomendação é se manter atento a elas. Afinal, como foi possível observar neste artigo, há muitas vantagens que podem ser utilizadas em prol das empresas.  

Agora que você já conhece as novidades sobre hospedagem corporativa, leia dicas imperdíveis para elaborar um orçamento de viagem corporativa.

Mesmo fora do ambiente corporativo, as viagens a negócios fazem parte do cotidiano das empresas e também se configuram como parte do trabalho. Apesar de elas serem realizadas em outros espaços, é preciso compreender a relação entre viagem a trabalho e direitos do trabalhador.

Antes de fechar os encontros e fazer as reservas é preciso conhecer bem quais são esses direitos e como eles são empregados, a fim de agir sempre dentro da legislação. Além disso, é preciso considerar a importância de promover ao colaborador as melhores condições para efetuar o trabalho, bem como garantir o seguro de viagem.

Como essas questões vão muito além de acordos entre empresas e funcionários e envolvem leis, é normal o surgimento de algumas dúvidas. Por isso, se você quiser saber mais, continue lendo nosso texto e entenda a relação entre a viagem de cunho profissional e os direitos do colaborador.

Essas viagens podem ser consideradas horas extras?

As viagens a trabalho configuram qualquer situação na qual o colaborador tenha que se deslocar em função da empresa. No entanto, se o viajante precisar pernoitar em função do serviço, isso pode ser configurado como hora extra? Essa questão gera muitas dúvidas, pois a lei não é muito clara nesse ponto.

A hora extra corresponde ao tempo trabalhado que ultrapassa ao que foi acordado com o colaborador. Nesse caso, eles estão trabalhando mais do que deveriam e, por lei, têm o direito de receber algum benefício.

Segundo a Consolidação das Leis Trabalhistas, a remuneração da hora extra corresponde a pelo menos 50% a mais da hora de trabalho normal. No caso dos dias de semana, o acréscimo deve ser de 50% sob o salário. No caso dos feriados e finais de semana, esse percentual sobe para 100%.

Considera-se que se o colaborador tiver trabalhado mais horas por dia do que o combinado, ele tem o direito a receber essas horas extras. Nesse sentido, mesmo que ele esteja viajando, se o tempo trabalhado corresponder ao que ele faz normalmente, isso não se configura como hora extra; porém, se esse tempo for excedido, o funcionário fez hora extra.

Caso o funcionário não esteja trabalhando, mas esteja de plantão no hotel, isso também se configura como horas suplementares. É importante observar o combinado feito entre as partes, pois o empregador pode compensar esse tempo com o pagamento ou em folgas.

O que são e como funcionam as diárias de viagens?

De quem é a responsabilidade dos gastos relacionados à viagem de trabalho? Essa é outra dúvida comum para as empresas e também para quem estiver viajando.

Essa questão é sanada com a diária de viagem: trata-se do valor que a empresa paga para cobrir as despesas referentes à viagem feita por algum colaborador. Esses gastos correspondem à alimentação, deslocamento e hospedagem, itens necessários para que o profissional atinja o objetivo do trabalho.

Como é obrigação das empresas o pagamento por essas despesas, um valor fixo pode ser determinado nas políticas de viagens corporativas. Assim, o colaborador só pode gastar aquele valor por dia. Caso ele seja extrapolado, é o funcionário quem deve arcar com a diferença.

Nesse caso, para as diárias de viagem, se o valor dos gastos corresponder a um valor superior a 50% do salário é necessário que ele seja incluído na remuneração total, segundo a CLT. Dessa forma, tais gastos passam a refletir em outras questões, como horas extras, descanso semanal remunerado, o décimo terceiro salário, férias, adicionais noturnos e de periculosidade e no recolhimento do FGTS, IR e INSS.

Além dessas despesas que são utilizadas para que o colaborador realize a viagem, a empresa deve incluir os gastos referentes ao trabalho. Caso o objetivo da viagem seja a participação de algum evento, palestra ou curso, a empresa deve ser responsável pelo pagamento de ingressos para feiras e até mesmo a montagem de estandes, se for necessário.

O que são as despesas reembolsáveis e não reembolsáveis?

A gestão de reembolso das viagens corporativas corresponde à forma como as empresas devem ressarcir os funcionários com relação às despesas referentes a viagens do gênero. Nesse caso, é necessário identificar o que se enquadra nas despesas reembolsáveis.

Para que isso seja definido, os gestores devem criar as políticas de reembolso, que consistem na determinação do que a empresa deve ou não reembolsar para o funcionário. Essas diretrizes estão dentro das políticas de viagens corporativas, que englobam os diretos e os deveres das empresas e dos colaboradores quando falamos desse tipo de atividade.

Para definir o que se enquadra nessa questão de reembolso, é importante que os gestores tenham o conhecimento de toda a realidade da empresa. Assim, eles conseguem definir o quanto e como o dinheiro pode ser gasto em uma viagem, pensando no bem-estar do viajante.

Separamos uma lista dos itens a ser analisados para essa política:

  • alimentação: almoço, jantar, lanches e café da manhã;
  • transporte: aluguel de carro, combustível, táxi, transfers ou translados feitos por aplicativo, bem como passagens;
  • hospedagem: valor das diárias;
  • documentação: como vistos e material para reuniões.
  • seguro de viagem: protege o viajante em relação a qualquer acidente, atrasos, extravio ou perda de bagagem. Em alguns países é obrigatório a sua contratação.

Esses são alguns exemplos de despesas que a empresa deve arcar caso o funcionário precise pagá-las ao longo da viagem. No entanto, para que tudo seja feito da forma correta, o viajante deve solicitar e guardar as notas fiscais e recibos. Itens pessoais, como lembrancinhas, não são reembolsáveis.

Com o objetivo de analisar se as viagens estão de acordo com os direitos do trabalhador, ao final, os gestores podem solicitar que os viajantes realizem um relatório de viagem a fim de identificar se essas políticas estão funcionando tanto para a empresa quanto para o colaborador. A partir disso, é possível verificar se alguma mudança precisa ser feita.

Esses registros devem conter todas as informações referentes à viagem, como valores das diárias, preço das passagens, gastos com combustível e outros meios de transporte, valor da alimentação e demais serviços. Para isso, é recomendável contar com o auxílio de aplicativos na realização desse relatório e da contratação de uma agência de viagens online.

Pensar na relação entre viagem a trabalho e direitos do trabalhador garante que a viagem corporativa seja feita da melhor forma possível.

Quer saber mais sobre essas políticas? Leia nosso texto e saiba como fazer a gestão de reembolso de viagens corporativas.

No mundo corporativo, as viagens de negócios são muito importantes, pois é por meio delas que as empresas fazem contato com os demais parceiros e conhecem de perto os clientes. Para evitar qualquer contratempo, é preciso organizar pacotes de viagens de forma rápida e que, ao mesmo tempo, sejam práticos.

Contar com o auxílio de quem tem experiência nesse tipo de área faz toda a diferença. Contratar uma agência de viagens online permite que você tenha toda a comodidade na hora de fazer o seu pacote contando com agilidade, economia e qualidade.

Antes, organizar essas viagens era considerado algo complicado e que levava muito tempo; agora, tem ficado cada vez mais acessível. Quer saber o que é preciso para planejar esses encontros? Continue lendo nosso texto e fique por dentro de todos os pontos importantes!

Faça um planejamento

Como as viagens corporativas são feitas para encontrar os parceiros comerciais, algumas delas já devem ter o destino pré-determinado. Por isso, para iniciar a pesquisa, é importante saber primeiramente qual é esse destino.

Fazer o seu planejamento vai muito além de escolher hotéis e comprar passagens. O sucesso de fechar um negócio e conseguir um novo parceiro também deve estar incluso nas intenções de viagens. Confira o que fazer no período de preparação.

Escolha as datas

Monte um calendário com todos os encontros que já estão previstos ao longo do ano. Com essas datas separadas e os roteiros, você já consegue saber em quais dias estará disponível para agendar as demais reuniões que aparecerão. A partir dessas definições, é possível pesquisar a reserva de hospedagens e passagens.

Pesquise opções de hospedagem, passagem e transporte 

Antes de fazer as reservas do hotel, das passagens e dos demais serviços de transporte, é preciso fazer uma pesquisa para pensar na logística em relação ao trajeto que será feito entre esses lugares. Assim, você encontra as melhores opções que estão dentro do teto de gastos.

Defina a meta da viagem

Entenda o que você vai fazer na viagem corporativa. Pode ser visitar clientes, oferecer alguma manutenção, fechar negócios ou participar de eventos. Cada uma tem um foco diferente e você precisará se organizar para o tempo dos encontros que cada uma vai exigir.

Determine um teto de gastos

Essas viagens têm que ser lucrativas para a empresa de todas as formas, seja na hora de conquistar um cliente ou não gastar muito com a sua execução, de forma que se torne um prejuízo. Por isso, saiba quanto é possível gastar e faça uma previsão das despesas.

Saiba qual o roteiro

Antes de embarcar, é preciso saber quais passos serão dados na viagem! Monte o roteiro com cada itinerário e planeje o que você vai fazer a cada momento do dia. Ao fazer esse planejamento, você já sabe o que será feito ao longo do período em que estiver fora. Assim, você já consegue seguir para a pesquisa dos temais itens que compõem a viagem.

Pesquise preços de passagens, hotéis e aluguel de carro

Essa parte é a que leva mais tempo para ser feita e, também, é a que pode custar mais caro para as empresas. Como existem diversas opções com pontos positivos e negativos, você precisa pesquisar com antecedência para saber qual a melhor opção.

Reserve a hospedagem

Antes de reservar o hotel, identifique quais são os locais que você já sabe que precisa ir, como o aeroporto e o ponto de encontro da reunião ou evento. A partir disso, você deve pesquisar a opção que mais se encaixa na sua logística e tenha o melhor custo-benefício, tanto em localização quanto em valor.

Busque hotéis que estejam dentro das políticas de viagens corporativas e que tenham espaços para que você possa trabalhar enquanto estiver no quarto. Além disso, fique atento aos horários de check-in e check-out para não comprometer a reserva.

Faça a cotação das passagens aéreas

Sabemos que deixar para fazer isso de última hora pode acabar gerando muitos gastos. Por isso, é preciso pesquisar com antecedência para escolher o voo. Nos voos nacionais, no período da baixa temporada, a compra das passagens pode ser feita entre 30 e 45 dias antes da viagem. Já na alta temporada, a compra deve ser feita com 45 a 60 dias de antecedência.

Nos voos internacionais, na baixa temporada, compre as passagens com 30 a 60 dias de antecedência. Na alta temporada, o período deve ser de 60 a 120 dias antes de viajar.

Defina as formas de locomoção

Se você tem o costume de dirigir quando realiza viagens corporativas, o aluguel de um carro pode ser a melhor opção para se locomover. Isso permite mais liberdade e agilidade para chegar aos encontros marcados.

Caso você não dirija nas cidades de destino, o ideal é fazer parceria com algum táxi ou solicitar as viagens por meio de aplicativos. Os táxis oferecem tarifas mais fixas e os outros serviços têm a comodidade de solicitação online.

Providencie a documentação

Além de todos esses itens essenciais para o planejamento da viagem, levar a documentação necessária é muito importante. Sem registros e comprovantes, você pode ser impedido de realizar algumas viagens.

Para identificar quais deles são essenciais, é preciso verificar se é uma viagem nacional ou internacional e para qual lugar você irá se deslocar. Para isso, separamos uma lista do que você deve verificar antes de ir.

Passaporte

O atual passaporte tem a validade de dez anos e, para realizar uma viagem, é preciso que ele esteja válido pelo menos seis meses após a data do embarque.

Visto

Cada país mantém um acordo diferente com o Brasil, por isso, é preciso verificar qual a condição para chegar ao destino. Eles devem ser solicitados com antecedência, por isso, faça essa pesquisa com antecedência.

Vacinação

Existem países que solicitam que, para entrada em seu território, o viajante tenha tomado algumas vacinas. Verifique se o seu destino requer alguma específica e mantenha seu cartão de vacinação em dia.

Seguro de viagem

Esse item é essencial para todas as viagens feitas ao exterior. Em alguns países, é preciso chegar ao território com um seguro já contratado.

Carteira de identidade

Para embarcar em território nacional ou para entrar em alguns países da América Latina, apenas a carteira de identidade é necessária.

Contratar uma agência de viagem online garante que você faça o melhor proveito da sua viagem. Ela facilita o acesso a parceiros prestadores de serviço e promove agilidade nos processos.

Os pacotes de viagens corporativas podem adquirir mais vantagens se forem fechados na mesma agência, que oferece serviços como cashback, self booking e relatórios de viagens. Quer saber mais sobre como planejar a viagem? Entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas.

Sabemos que as viagens corporativas são essenciais para o engajamento e a participação das empresas no mercado. Os serviços de viagens são oferecidos por agências e têm muito benefícios para quem opta por contratar quem é especialista no assunto.

Como esse tipo de evento promove a maior notoriedade das empresas no mercado, a necessidade de contratar uma agência se mostrou mais recorrente. As agências online oferecem esse serviço com diversos benefícios, como economia e agilidade na sua realização.

Quem quer promover a sua empresa é preciso buscar parceiros que promoverão esse objetivo. Porém, esse caminho não é muito fácil e existem diversos tópicos em que você deve estar atento para escolher qual agência contratar. Quer saber quais os principais serviços de viagens as agências corporativas oferecem? Leia o nosso texto e confira os 5 pontos.

1. Controle dos gastos das viagens

As viagens corporativas devem gerar lucro para as empresas, no sentido de não gastar mais do que o necessário e, ao mesmo tempo, atingir o objetivo, como fechar negócios, participar de eventos e visitar clientes. Esse trabalho deve ser feito minuciosamente, de forma que a jornada seja planejada para não causar nenhum problema.

O controle dos gastos das viagens gasta muito tempo e dá muito trabalho para os colaboradores, pois todos os pontos mais importantes devem ser informados de forma que um relatório final possa ser gerado. Isso permite que os gestores tenham controle do que é gasto nesses empreendimentos.

Para que isso aconteça, as empresas podem criar as políticas de viagens corporativas, que são diretrizes que regulamentam a forma como os colaboradores devem fazer a sua viagem. Nesse caso, eles conseguem definir médias de valores nos quais os colaboradores gastarão por dia.

Confira os itens que devem entrar nesse ponto:

  • preço de hospedagem;

  • valores gastos com alimentação;

  • gastos com passagens aéreas;

  • opções de seguro de viagem;

  • quais documentos são de responsabilidade da empresa.

2. Oferece os melhores preços

Muitos gestores podem achar que as agências de viagens online são apenas um gasto de dinheiro da empresa. Eles falam isso, pois não conseguem perceber quais os reais benefícios que essas agências podem oferecer.

Como já estão a mais tempo no mercado, elas já têm empresas parceiras que podem oferecer descontos melhores em seus serviços. O que a princípio aparece como gasto, tende a se tornar um investimento.

A etrip oferece a economia de até 25% nas compras de viagens que forem feitas com eles. Essas medidas tomadas servem para oferecer o melhor custo-benefício para os viajantes. Além disso, como eles são uma empresa online, eles oferecem o suporte que pode ser utilizado a qualquer hora do dia.

3. Gerencia as permissões de usos do cartão de crédito

Esse tipo de serviço oferecido pela agência de viagem permite que as empresas tenham o maior controle sobre o uso do cartão de crédito corporativo. Isso evita que o seu gasto seja feito sem critério e os colaboradores usem mais do que o esperado.

Realizar a gerências de uso do cartão de crédito significa que a empresa vai escolher quais serão os possíveis gastos a serem feitos com os meios corporativos. Isso significa que o colaborador utilizará apenas o que for permitido, como:

  • uso em viagens nacionais ou internacionais;

  • possibilidade de compras online;

  • função de crédito e débito.

Esses são alguns dos exemplos que a empresa pode escolher na hora de promover uma viagem corporativa. Essas diretrizes devem estar de acordo com as necessidades da organização e elas também devem ser determinadas nas políticas de viagens corporativas, como os possíveis usos do cartão.

4. Fornece relatório das viagens corporativas

De nada adianta se as diretrizes determinadas pela empresa, como forma de regular as viagens não tiverem um feedback. Apesar de elas serem criadas e serem respeitadas pelos colaboradores, elas devem ser avaliadas após a finalização de cada jornada.

Cada viagem é única e por mais que o colaborador já tenha feito essa jornada anteriormente, elas podem variar quando a relação dos gastos com os itens necessários. Isso se dá por várias questões, como reservas e passagens em períodos de alta temporada, trânsito cheio — que faz com que o táxi saia um pouco mais caro.

Existem vários pontos que podem influenciar nessa questão, por isso, os itens que forem determinados pelas empresas não podem ser considerado como a única regra e que não pode ser mudada. É preciso que todos os aspectos sejam considerados e os relatórios de viagens corporativas servem para isso.

O usuário registrará todos os pontos que compõem o processo da viagem, que vai de acordo com os custos das passagens aéreas, da alimentação, da hospedagem e dos traslados utilizados. Isso permite que os gestores analisem se as políticas estão funcionando ou se elas necessitam de alguma mudança.

5. Ofere o cashback

Esse tipo de benefício permite que o colaborador receba o dinheiro de volta dos gastos online feitos ao longo da viagem pela empresa. Isso se torna algo muito positivo, pois na etrip você pode utilizar esse dinheiro no abatimento de compras feitas posteriormente e ele se diferencia dos pontos, pois o crédito pode ser usado quando for preciso.

Isso é muito benéfico para os usuários, pois ao utilizar o serviço do self booking, eles podem utilizar esse crédito disponível para organizar a próxima viagem. Essa plataforma online permite que o próprio viajante realize as reservas referentes ao hotel, compra de passagens aéreas e aluguel de carros.

Além de oferecer uma maior autonomia do viajante, ele ainda pode reverter esse benefício na hora de planejar outra viagem. Outro ponto positivo é que essa plataforma permite que todos os dados sejam registrados e os colaboradores tenham a autonomia de acessá-los para a produção do relatório de viagens.

Esses dois itens são oferecidos pela agência de viagem online, com um suporte preparado para as viagens corporativas. É importante que você conheça e encontre uma prestadora de serviços que promover o melhor benefício.

Os serviços de viagens corporativas facilitam e auxiliam na hora de economizar na execução das viagens corporativas. Gostou do nosso texto? Se você quer saber mais sobre viagens entre nosso site e confira todas as informações.