Zig Ziglar, autor e orador motivacional de sucesso, ressaltou certa vez: “as pessoas costumam dizer que a motivação não dura sempre. Bem, nem o efeito do banho, por isso recomenda-se diariamente”. Sua frase exemplifica bem a principal função dos programas de incentivo.

Antes de abordarmos profundamente o conceito, sua importância e aplicação, precisamos contextualizar o motivo que nos leva a falar sobre esses programas. Certamente, esse motivo também está diretamente ligado ao seu interesse neste artigo.

Vivemos uma época em que grande parte da equipe das empresas nacionais faz parte da geração millennal, também conhecida como geração Y. Nascida no período que corresponde os anos de 1985 até 1999, essa geração é muito diferente das outras.

Ela é imediatista, está inserida na tecnologia e consome informação muito rápido. O ponto crucial, que conversa com os programas de incentivo, é que essa geração não está disposta a permanecer em trabalhos que não a valoriza. Isso porque ela está acostumada a ter tudo o que precisa e quer de forma rápida.

Um estudo online realizado pela Trendsity entrevistou 1.800 jovens de 18 a 27 anos, por toda a América Latina, e constatou que 62% deles acreditam que vão se frustrar ou se desmotivar se não conseguirem resultados rápidos no trabalho.

Dito isso, não é por acaso que você chegou neste artigo. Também não é por acaso que cada vez mais empresas querem saber tudo sobre como os programas de incentivo podem ajudá-las a motivar seus funcionários para aumentar ou manter a produtividade, finalizar e gerar bons resultados financeiros.

Mas, afinal, o que são programas de incentivo?

Com uma rápida busca na internet, é possível encontrar uma definição simples sobre o que é um programa de incentivo. Geralmente, a definição abordará o conceito: estratégia aplicada por uma empresa visando proporcionar mais motivação aos funcionários.

A definição está correta. Contudo, um programa de incentivo é muito mais que isso. Ele também tem a função de gerar produtividade. Ao realizar, por exemplo, um programa que oferece uma viagem de incentivo, o funcionário terá uma chance única de produzir de forma eficiente para conquistar o prêmio.

Além disso, um programa também gera uma cultura organizacional de reconhecimento do esforço do colaborador. Isso é algo reconhecido por todos e que agrega na credibilidade da empresa. Podemos observar isso, por exemplo, na Nextel, que está entre as melhores empresas para se trabalhar.

O título foi conquistado justamente por uma política que valoriza a equipe, pois a Nextel implantou um programa de incentivo para motivar seus colaboradores. Atualmente, a empresa atua com um programa que oferece viagens, prêmios, cartão multicultural e até recompensas em dinheiro.

A estratégia da Nextel tem apenas um objetivo: valorizar o funcionário. Por que? Simples. A valorização gera consequências. Faz com que o funcionário atue de forma mais eficiente, ou seja, o cliente terá um melhor atendimento. Não há dúvida que cliente mais satisfeito impacta diretamente em bons resultados financeiros.

“Compromisso, trabalho em equipe e melhoria contínua são chaves para conquistar excelência em qualidade e satisfação dos clientes”. (Marcelo Sousa da Silva).

Quais as vantagens dos programas de incentivo?

Você já deve ter percebido que passamos, brevemente, por alguns dos benefícios de aplicar um programa de incentivo. Certo? No entanto, vamos continuar falando sobre o assunto. Se você está perguntando o motivo, saiba que queremos ir além. Vamos explicar de forma prática e eficiente todas as vantagens do programa. Confira!

Equipe motivada gera lucros financeiros

Os funcionários são a base de qualquer empresa. São eles que fazem tudo funcionar de forma adequada. Sendo assim, o tratamento que recebem impacta diretamente no desempenho de suas funções.

Os programas de incentivo têm impacto direto no ambiente e também na forma como o trabalho é realizado. Colaboradores mais motivados tendem a desenvolver com mais produtividade e isso impacta no aumento da produção.

Muitos programas até são realizados visando cumprir metas e atingir objetivos específicos, pois isso garante o resultado dos programas e também o aumento da lucratividade da empresa.

Bons programas se pagam sozinhos

Isso mesmo que você leu: bons programas não precisam de investimentos extras, pois geram retornos que compensam o esforço. O que queremos dizer é que, quando são desenvolvidos de formas estratégicas e visam cumprir metas, os programas geram uma receita que paga seus custos.

Obviamente, para que isso aconteça é necessário um bom planejamento, controlar os gastos e a aplicação do programa de forma inteligente. Como? Falaremos sobre isso mais adiante em: como implementar um programa de incentivo de maneira eficiente?

Contudo, uma exemplificação rápida. Imagine que um programa promoverá bônus para os colaboradores no total de R$200 para cada um. A equipe é formada por 10 pessoas. Estamos falando, então, de R$2.000.

Todavia, para alcançar o bônus, eles precisam atingir a meta de 400 vendas de assinatura de internet no valor de R$ 200. Atingindo a meta, o valor da campanha promoverá para a empresa R$ 80 mil reais. Ou seja, o investimento do programa será de apenas R$ 2.000 para o pagamento de bônus aos funcionários.

Como já pode ser concluído, o programa gerou um resultado excelente e se pagou. Ademais, não é só o resultado financeiro que melhorou, a equipe também acabou mais motivada e isso influenciou diretamente no clima da empresa.

“Motivação é a arte de fazer as pessoas fazerem o que você quer que elas façam porque elas o querem fazer”. (Dwight Eisenhower)

Destaque de bons profissionais

Como já mencionamos, a maioria das empresas conta com equipes formadas por profissionais da geração Y. Por não ter um programa de incentivo, muitas acabam lidando com a alta rotatividade de profissionais. Isso é algo que impacta negativamente, pois gera custos financeiros e também faz com que o ambiente de trabalho fique desequilibrado.

O programa de incentivo pode ser um aliado para lidar com isso. Ele faz com que o funcionário tenha interesse e siga motivado em permanecer no trabalho. Além disso, também faz com que os bons funcionários se destaquem e isso é excelente para conceder promoções com mais resultados de sucesso.

Gerar finalização dos bons colaboradores é algo benéfico para qualquer empresa, pois se cria parceiros de negócios. Esses são muito mais acostumados com os padrões da empresa, sabem mais sobre as funções e trabalham com muito mais produtividade.

Para ter uma ideia concreta do que estamos falando, a Google, por exemplo, é uma empresa que investe em programas para fidelizar bons funcionários. Ela oferece, dentro do escritório, áreas de lazer, além de proporcionar benefícios tecnológicos e de alimentação para fazer com que seu colaborador se sinta um parceiro.

Como esses programas podem contribuir para os lucros da empresa?

Ano passado, Brian Dune, diretor da SVM Europe do Incentive Marketing Association (IMA), participou do evento da Academia Brasileira de Eventos e Turismo. Durante sua fala, ele apresentou uma pesquisa que mostra que empresas do Reino Unido, com programas de incentivo, têm 60% mais produtividade e criatividade e 40% mais retenção de funcionários.

Quando falamos de itens, como produtividade, criatividade e retenção de pessoal, estamos falando também sobre geração de lucros e economia financeira. Funcionários que atuam de forma mais produtiva e criativa geram muito mais lucro para as empresas, pois trabalham de forma exemplar e são fiéis ao emprego.

Um estudo da Universidade de Warwick (Reino Unido) mostra, por exemplo, que colaboradores felizes são 12% mais produtivos. Outra pesquisa da Universidade da Califórnia (EUA) aponta que há aumento de até 37% nas vendas quando os funcionários estão felizes e que quando estão satisfeitos são três vezes mais criativos.

Nesse sentido, não há como negar que bons programas de incentivo podem ser aliados de empresas que precisam aumentar seus rendimentos. Todavia, é necessário deixar claro que somente bons programas podem oferecer bons resultados.

A questão que pode vir agora é: “quais são os passos para criar um programa de sucesso?” Vamos mencionar isso mais adiante, mas antes vamos falar sobre como uma empresa pode ajudar, e muito, a conquistar bons resultados.

Como uma empresa especializada pode contribuir para criar um programa?

Você descobrirá que não há empresas especializadas em implantar programas de incentivos. Ok, isso pode ser uma informação impactante para você, mas calma. Há outras soluções pelo caminho.

O que há, atualmente, no mercado, são empresas especializadas em viabilizar o programa. Ufa, isso foi um alívio, né? “Mas como elas podem ajudar?” Vamos exemplificar: supondo que seu programa oferecerá uma viagem. Nesse caso, você encontrará empresas que são especializadas em realizar todo o planejamento e que podem economizar em viagem de negócios.

Elas vão pensar exatamente em tudo, ou seja, destino, hospedagem, passagens aéreas, alimentação, transportes e passeios. Tudo para que a viagem seja realmente efetiva e proporcione ao colaborador um momento único. Dessa forma, a empresa do programa de incentivo não precisará passar horas viabilizando a viagem, nem precisará destinar um profissional para isso.

Agora que você já sabe como uma empresa pode ajudar a viabilizar um programa, a questão que não deve estar saindo da sua mente é “como implementar o programa?” Fique tranquilo que chegou a hora de falar sobre isso!

Como implementar um programa de incentivo de maneira eficiente?

Você já entende o que é um programa de incentivo, suas vantagens, como ele pode gerar lucro e muito mais. Por saber de tudo isso, provavelmente, é que você chegou na parte mais importante do artigo e deve estar curioso (a) para saber como implantar um programa realmente eficiente.

Saiba que um programa de incentivo eficiente requer estudo, planejamento, atenção e mensuração. No entanto, não é um bicho de sete cabeças. A primeira coisa para quem vai implantar o programa é promover um mapeamento para identificar como está a satisfação dos funcionários.

O resultado dará as diretrizes, ou seja, as bases do programa. De forma mais simples, é preciso saber quais são as demandas dos colaboradores para conseguir atendê-las de forma realmente efetiva. Confira um passo a passo de como implantar um programa de incentivo!

Mapeie o território

Mudanças efetivas só podem ser realizadas quando sabemos por que elas precisam existir. Afinal, sabendo o que é preciso mudar, podemos seguir caminhos para chegar no objetivo da mudança. Não adianta somente achar que seus funcionários estão desmotivados e não saber exatamente quais são os motivos para mudar isso.

Dessa forma, um programa de incentivo, antes de ser criado, precisa ter informações concretas do porquê da sua existência. Sendo assim, é importante realizar uma pesquisa de satisfação com a equipe. Ela pode ser online e com respostas anônimas, para não intimidar alguns funcionários.

Ela precisa ser realizada de forma objetiva e precisa questionar, por exemplo, pontos importantes, como salário, clima do ambiente, equipe, férias, horário de trabalho etc.

Todas essas informações poderão oferecer um caminho valioso para que esse tipo de programa seja mais eficiente com a equipe. Por isso, estude o resultado da pesquisa. Não faça prejulgamentos e atente aos resultados concretos.

Defina os objetivos

Você estudou sua pesquisa e já sabe quais são as insatisfações dos funcionários. Isso é um ótimo caminho. Agora é possível estabelecer quais são os objetivos para mudar essa situação. Lembrando que os objetivos devem atender tanto à demanda da empresa quanto a do funcionário.

Vamos mais uma vez a um exemplo. Supondo que os funcionários estão desmotivados e as vendas estão baixas. Você realiza uma pesquisa e descobre que eles estão desse jeito por conta do salário.

Nesse cenário, o programa terá dois objetivos: aumentar as vendas e motivar os funcionários por meio de recompensa financeira. É importante ressaltar que haja um equilíbrio entre os objetivos da empresa e da motivação da equipe.

Ou seja, não adianta criar metas de vendas inalcançáveis para atingir somente os objetivos da empresa. Isso promoverá um desgaste ainda maior dos funcionários. Eles ficarão ainda mais desmotivados por não conseguirem atingir as metas e o efeito do programa será contrário ao esperado.

Estabeleça as recompensas do programa

Nessa etapa é necessário ter as respostas da pesquisa de satisfação da equipe para alinhar o que não está bom com o que pode ser alterado. Lembra do exemplo que citamos acima? Os funcionários estavam desmotivados por conta do salário e um programa pode mudar nisso.

Todavia, a insatisfação poderia ser pela rotina. Nesse caso, uma viagem de incentivo seria uma ótima bonificação. O que queremos dizer é que as recompensas precisam estar alinhadas com as demandas da equipe para que o programa tenha bons resultados.

Por isso, analise sua pesquisa, veja quais são as demandas dos funcionários e estabeleça quais recompensas podem gerar resultados satisfatórios.

Utilize plataformas para implantar o programa

É impossível analisar o resultado da equipe o tempo todo no dia a dia. Ademais, questionar resultados o tempo todo pode ser visto como algo autoritário e também como pressão. Uma forma alternativa para conseguir analisar o resultado da equipe é utilizar plataformas online de gestão de comportamento.

Algumas permitem, por exemplo, avaliar a produtividade; pontos fracos e fortes; fatores comportamentais e se o funcionário é adequado ao cargo. Algumas ainda proporcionam descoberta de talentos e geram relatórios de cargos.

Seja honesto e dê feedbacks

Um dos pontos importantes para que o programa de incentivo seja um sucesso é o feedback. Não importa se o resultado do colaborador foi bom ou ruim, conversar sobre sua performance é essencial. Ele precisa ouvir uma análise sincera do seu trabalho para que possa melhorar ou continuar evoluindo.

Obviamente, isso precisa ser realizado de forma discreta, com respeito e em particular. O feedback é necessário para que o colaborador conheça suas falhas ou pontos positivos; para que ele seja aconselhado nos pontos em que pode melhorar e tenha uma relação de confiança com a pessoa que está em cargo de liderança.

“Se queres construir um barco, não fique em cima das pessoas para que recolham madeira e não lhes atribua tarefas e trabalho. Ao invés disso, ensina-lhes a ansiar e admirar o mar”. (Antoine de Saint-Exupery)

Quais os tipos de programas de incentivo que existem?

É muito comum encontrar empresas que acreditam que a melhor bonificação de um programa de incentivo é o dinheiro. Um estudo realizado, nos Estados Unidos, pela VP Executivo do IMA — Incentive Marketing Association, mostrou exatamente isso. Ou seja, que acredita que se a empresa oferece opções aos colaboradores, eles vão optar por dinheiro.

Todavia, a pesquisa constatou que 60% dos entrevistados valorizam mais aspectos não monetários ou reconhecimento pelo seu trabalho. O estudo ainda identificou que as empresas precisam encontrar as premiações não monetárias mais adequadas a sua equipe. Isso ocorre, pois cada pessoa tem um perfil e uma necessidade.

Diante das informações apresentadas, você pode ter notado que dinheiro é apenas uma das bonificações usadas em programas. Notou certo! Ocorre que há diversos tipos de bonificações que podem ser trabalhadas de forma eficiente. Confira as principais!

Equipamentos eletrônicos

Os prêmios físicos podem ser computadores, smartphones ou qualquer equipamento. Eles são ótimas opções para atender determinada necessidades dos funcionários. Contudo, devem ser escolhidos segundo o perfil do colaborador para que seja realmente eficiente.

Medalhas

Ainda hoje, profissionais valorizam o recebimento de prêmios em medalhas por conta do seu significado. Uma medalha representa, normalmente, um excelente trabalho ou desempenho e isso é valorizado pelo colaborador.

A medalha é um excelente prêmio para empresas que não têm recursos financeiros para investir em outras bonificações.

Viagens

As viagens são muito valorizadas pelos funcionários. A tendência de viagens corporativas está em alta, pois muitos não possuem recursos financeiros ou de tempo para fazê-las de forma independente. Sendo assim, esse prêmio acaba gerando um alto engajamento dos colaboradores.

Geralmente, as viagens de incentivos são utilizadas em programas de metas. Ou seja, é necessário atingir um objetivo para conquistá-la e isso proporciona um excelente resultado financeiro para empresa.

Ademais, as viagens proporcionam ótimas relações com os colaboradores que conquistaram o prêmio, já que o resultado vem dos funcionários mais descansados, contentes pelos momentos vividos e agradecidos à empresa pela oportunidade.

Programa de pontos

O programa de pontos é uma ótima estratégia para empresas que têm muitos funcionários e não conseguem definir somente um tipo de prêmio. Ocorre que o programa cria uma estratégia de pontuação para que o funcionário possa atingir determinadas metas.

Quando ele consegue chegar a uma meta, pode converter seus pontos para escolher um prêmio que lhe agrade. Nesse caso, a empresa pode deixar à disposição diversos tipos de prêmios, como livros, ingressos para shows, viagens, medalhas, almoços etc.

Experiências diferenciadas

Em uma época que podemos ter quase tudo, há uma alta valorização para coisas que não são materiais. Momentos diferentes que proporcionam sentimentos novos é algo ultravalorizado. Nesse sentido, programas que oferecem novas experiências podem promover bons resultados também.

Quando falamos sobre novas experiências, estamos falando sobre sensações únicas, como mergulho, passeio de helicóptero, rapel, salto de paraquedas etc. Ou seja, coisas que oferecem adrenalina, que podem gerar emoções positivas e inesquecíveis aos colaboradores.

Essas são as principais bonificações dos programas de incentivo. Antes de finalizar este guia, é importante destacar, novamente, que um programa de sucesso está diretamente ligado com o planejamento estratégico. Não adianta produzir um programa sem que ele tenha embasamento com a realidade.

Por isso, converse com sua equipe, entenda suas necessidades, felicidades e dores. Escute para que os colaboradores possam mostrar o caminho correto do programa. É ouvindo que será possível, por exemplo, definir qual é o melhor tipo de bonificação de um programa, quais metas são realistas e o que realmente motivará a todos.

Lembre-se também de conversar com o CEO da empresa. Você também precisará entender as necessidades, o que ela precisa melhorar, quais equipes precisam de mais motivação etc.

Todos esses pontos são importantes, pois uma empresa não pode atuar sem dados concretos. Já que isso é achismo e, convenhamos, que isso sempre oferece margem para erros. Por isso, planeje, organize e mensure para que os programas de incentivo tenham sucesso.

Quando estiver no processo de viabilizar o programa, saiba que uma empresa especializada pode ajudar. Essa é a Etrip, agência online de viagem de negócios, que promove a viabilização de passeios de incentivo, levando em consideração todos os detalhes indispensáveis para proporcionar dias inesquecíveis aos colaboradores.

Ficou interessado em como a Etrip faz para ajudar efetivamente a viabilizar os programas de incentivo? Entre em contato com a empresa e tire suas dúvidas de forma rápida e simples!