Você sabe quais são os significados da diária de viagem e ajuda de custo? É comum que esses dois termos acabem gerando um pouco de confusão entre os clientes, promovendo a necessidade do auxílio de algum tipo de profissional da área de compras para ajudá-los a entender essas questões.

Quer saber mais sobre esse assunto? Leia nosso texto e tire as suas dúvidas sobre o seu funcionamento.

O que é a diária de viagem?

A diária de viagem corresponde ao valor que a empresa paga para cobrir as despesas do profissional que viaja a trabalho. Entre esses gastos estão a alimentação, o deslocamento e a hospedagem. A empresa pode entregar ao colaborador uma quantia de dinheiro antes da viagem, ou reembolsá-lo após seu retorno, de acordo com os gastos que foram realizados.

O que é a ajuda de custo?

A ajuda de custo não tem cunho salarial. Ela é uma verba indenizatória que é utilizada para as possíveis transferências, mudanças de domicílio ou acompanhamento de clientes em eventos corporativos.

Como são realizados esses pagamentos?

Como vimos, as diárias de viagens são despesas decorrentes das viagens corporativas. Elas podem ser pagas de forma habitual, porém, quando ultrapassam 50% do salário-base mensal do funcionário, elas passam a ter a natureza salarial em sua totalidade. Em alguns casos, é necessário realizar a prestação de contas por meio da apresentação dos comprovantes.

Já a ajuda de custo é uma obrigação compulsória, determinada pela lei, em casos em que o empregador transfere o empregado para outras localidades, configurando a mudança de domicílio. Ela deve ser paga de uma vez só e com a finalidade de ressarcir as despesas de mudança de trabalho.

Qual a incidência de impostos?

Para as diárias de viagem, segundo a CLT, se o valor for superior a 50% do salário é necessário que ele seja integrado com a remuneração total do colaborador. Assim, elas passam a refletir nas horas extras, adicionais noturnos e periculosidade, descanso semanal remunerado, férias, 13º salário e recolhimentos do FGTS, INSS e IR.

Já na ajuda de custo, segundo a legislação previdenciária, não incide sobre a contribuição feita por meio do pagamento em parcela única em decorrência da mudança de local de trabalho. Dessa forma, a ajuda de custo não sofre a incidência de INSS e FGTS, caso ela seja paga de uma vez só e com a finalidade de auxiliar na mudança.

Qual a melhor opção para a empresa?

As diárias de viagem são utilizadas para os gastos que os colaboradores têm com viagens corporativas, que configuram em passar apenas alguns dias fora. Nesse caso, ele serve para quando não é necessário que ele mude para uma outra localidade e é preciso fazer a prestação de contas.

Já a ajuda de custo é feita quando, por motivos de trabalho, o empregado tem que transferir a sua localização. Assim, esse pagamento deve ser feito apenas uma vez e tem a natureza de reembolso do funcionário.

Sendo assim, como pudemos acompanhar, existem várias diferenças entre a diária de viagem e ajuda de custo, não havendo uma melhor ou pior opção para a empresa. A questão é simplesmente saber distinguir qual delas cabe em cada situação. Mas, para isso, quando for necessária a aplicação de alguma delas, é importante ter o acompanhamento de um profissional especializado, para que tenhamos a certeza de que esses recursos sejam bem aplicados.

Quer saber mais sobre o assunto? Assine a nossa newsletter e receba as novidades diretamente no seu e-mail.